COMO VI
2001

Um dia, perguntaram ao meu pai: “Afinal, Jorge, no que trabalha seu filho?” Ele pensou um pouquinho e respondeu: “Faz uns biscates por aí”

Um portifólio sucinto de vários anos de atividades profissionais. Várias. Poderia me alongar em mil histórias umbigo a dentro. Coração, vida a fora, tramando-me aos que me educam ainda, na memória.

Um ano pensando nele, mais um ano a planejar e mais um ano para fazer. Direção de arte: Eduardo Hirama. Esse livro era para marcar minha retirada das artes gráficas, mas devido ao seu sucesso, permaneço.

Samira Yazigi Farah foi a grande responsável e incentivadora. Coordenou, produziu e cuidou da noite de autografos com grande festa para os amigos.

Mas um grande amigo em especial, talvez meu primeiro cliente quando ainda estava no primeiro ano da FAU USP, tornou esse dispendioso livro possível:

Lotário KRAUSE. Graças a ele também criei a arara azul em 1972 !

COMO VI
COMO VI
COMO VI
COMO VI
COMO VI
COMO VI